Como descartar material eletrônico?

Ao comprarmos e usarmos um produto é natural que ele sofra desgaste com o passar do tempo. O que não é natural é o fabricante planejar este processo com objetivo de vender mais produtos para o mesmo consumidor futuramente. Opa, mas calma aí. Esta prática existe sim e recebe o nome de obsolescência programada, é isto mesmo, a prática surgiu na década de 1920, pelo presidente da General Motors, Alfredo P. Slon, onde ele buscou atrair os consumidores com as constantes substituições de modelos e acessórios dos seus veículos.  Hoje a prática é perfeitamente vista entre os fabricantes de celulares, tablets, notebooks e uma infinidade de equipamentos eletrônicos. De fato, esta prática ganhou mercado e com o passar dos anos, cada vez mais os produtos não são fabricados para durar, o fato é que esta prática é interessante para apenas um dos lados, no final das contas quem perde são todos nós, afinal, onde vamos colocar toda esta tralha? 

Bom, mudar esta visão por parte dos fabricantes, acho pouco provável, mas acho que a mudança precisa partir do consumidor final, a partir do momento em que o consumidor começar a rever seus hábitos de consumo a história pode ter um final diferente. A boa notícia desta história toda é que este cenário pode ter uma mudança futuramente, pois acreditem o consumidor já está mudando sua forma de consumo, a atual geração é super ligada nas questões ambientais, busca consumir de forma consciente e além de apenas consumir, busca referências sobre os impactos que o fabricante ou determinada marca gera no meio ambiente. A mudança já começou e ela começa pela mente. 

Enquanto toda esta história não tem um fim, que tal adotarmos algumas práticas interessantes para ajudar a reduzir o impacto ambiental disso tudo? Então se liga nas dicas:

1. Repense a compra: Quando for comprar algo, trocar um celular, um notebook, avalie se a troca é realmente necessária, se é possível formatar o aparelho e aumentar o tempo de uso, rever os aplicativos, será que realmente utiliza todos os aplicativos do seu Smartphone? Enfim repensar é o primeiro passo. 

Foto: Casadeismael.com

2. Descarte correto: Se o destino do produto é realmente o descarte, busque empresas especializadas na coleta e reciclagem destes materiais, é importante dar o destino correto e evitar que toda esta tralha vá parar em aterros sanitários ou locais impróprios. Consciência é tudo. 

3. Informação: Antes de comprar avalie os impactos deste produto no meio ambiente, veja a prática adotada pelo fabricante e busque saber sobre a legislação vigente, quais são as obrigações daquela empresa, a procedência do produto e forma adequada de coleta quando ele não tiver mais uso e assim tornar-se obsoleto. 

Se realizou uma limpeza na sua casa e encontrou carregadores, tv velha, computador que não funciona, saiba que tudo isso pode ser recolhido de forma gratuita na sua cidade por empresas especializadas. Em Belo Horizonte a empresa BH Recicla realiza esta coleta sem custo. Clique aqui e saiba como. 




http://2.bp.blogspot.com/-NgD5d7-LQ6M/WHgo7Ddk-PI/AAAAAAAAI94/yNc_2iG5q14cebzutskfHmT80PEayVsQwCLcB/s1600/ASSINATURA%2BBLOG.jpg

Tatiana Melo

é Bióloga, professora, Personal Organizer. Tem como lema: "Organizando ambientes e melhorando a qualidade de vida dos clientes", tanto que dedica parte do seu tempo para compartilhar suas experiências nesse blog como Personal Organizer e dar dicas sobre organização das mais diversas formas.


0 comentários